Entrevista: CHAPA 2 – DISCUSSÃO DEMOCRÁTICA

Entrevista a GASPAR LEÃO, candidato da CHAPA 2 – DISCUSSÃO DEMOCRÁTICA

 

 

QUAIS AS PRIORIDADES DA SUA GESTÃO CASO SEJA ELEITO?

GASPAR – A maior prioridade de nossa gestão é trazer de volta os filiados ao Sindicato e, ao mesmo tempo, recuperar a confiança e, por conseguinte, a credibilidade da direção sindical.

Infelizmente, assistimos a um alinhamento político de uma parcela da diretoria com políticos que afastou os filiados. O resultado foi que estamos atravessando os piores 3 anos dos auditores e da Receita Federal.

 

NA SUA VISÃO, QUAIS OS MAIORES DESAFIOS DOS AUDITORES-FISCAIS DA RECEITA FEDERAL NOS PRÓXIMOS ANOS?

GASPAR – Com certeza, é lutar para resgatar as perdas e tentar avançar: recuperar a paridade entre ativos e aposentados (aposentadoria não pode ser compreendida como sendo castigo, mas, sim, como um prêmio), iniciando pela revisão submetida à assembleia, do fim da escadinha; e avançando para outros resgates, a exemplo da paridade constitucional para aqueles que ingressaram após os anos 2000.

No mais, é nossa prioridade lutar por uma Lei Orgânica que nos dê estabilidade e segurança jurídica no exercício de nossas atividades, em especial, as nossas atribuições e prerrogativas legais, e que enfatize a autonomia jurídica do auditor e a missão da Receita Federal, a partir do disposto na CF/1988.

 

QUAIS SERÃO OS DESAFIOS DA NOVA DIREÇÃO DA DS RECIFE EM MANTER A CATEGORIA UNIDA E MOBILIZADA, CASO O SENHOR SEJA ELEITO?

GASPAR – Vamos construir pautas que nos unam: antigos, jovens e aposentados.

Vamos combater a existência de pautas nas assembleias que nos dividem, a exemplo da escadinha do Bônus de Eficiência.

O nosso papel é trabalhar para construir um ambiente de respeito e consideração mútua e cooperação entre auditores fiscais, administração superior e o ambiente externo: ministros, parlamentares, presidente, etc, com altivez e sem misturar política partidária com sindicato.

 

COMO O SENHOR AVALIA A SUA RELAÇÃO COM OS COLEGAS DA RECEITA FEDERAL?

GASPAR – Eu já tenho quase 35 anos de serviço público e sempre tive uma relação respeitosa com o trabalho e os colegas. Já demonstrei que sempre fui um lutador para a melhoria do conjunto dos auditores e da Receita Federal. Já também honrei com muito trabalho e dedicação o cargo de dirigente sindical, em especial, à época em que exerci o cargo de Técnico do Tesouro Nacional.

E o que é mais importante, a nossa chapa é formada por diversos auditores fiscais que já presidiram o nosso sindicato, que já exerceram cargos importantes na administração superior da Receita Federal e que possuem grandes qualidades técnicas e experiências comprovadas. Tais colegas resolveram retornar ao sindicato com o objetivo de contribuir para resgatar o conjunto de perdas dos auditores e da Receita Federal; e tentar avançar …

0 respostas

Deixe uma resposta


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *