ENTREVISTA: José Assis Ferraz Neto, superintendente da 4ª RF

2020 foi um ano que ficará marcado na vida de todas as pessoas, seja no campo pessoal, profissional, econômico, entre tantos outros. E o ano de 2021 chega, trazendo com ele, a esperança por dias melhores, em todos os sentidos. E, com a categoria de Auditoras e Auditores-Fiscais da Receita Federal não é diferente. E, diante das perspectivas para este ano, a Direção da DS Recife conversou com o superintendente da 4ª Região Fiscal, José Assis Ferraz Neto, que fez um balanço do ano de 2020 e ponderou o que os Auditores e Auditoras podem esperar do ano que se inicia. Confira

DS RECIFE – QUAL FOI O MAIOR DESAFIO PARA OS AUDITORES-FISCAIS, DIANTE DA PANDEMIA POR COVID-19, ENFRENTADO EM 2020?

JOSÉ ASSIS – O maior desafio na minha percepção foi conciliar a atividade profissional dos AFRFB com a vida pessoal por conta do home office. Some-se a isto o desafio de manter a categoria motivada e focada na execução de suas atividades neste tempo de pandemia. E sem poder esquecer do enorme desafio em nos manter emocionalmente equilibrados neste momento difícil em que atravessamos.

 

DS RECIFE – QUAIS PERDAS/BENEFÍCIOS A CATEGORIA OBTEVE EM 2020?

JOSÉ ASSIS – Perdas: possível perda no sentimento de pertencimento de grupo e da instituição por conta do isolamento.

Ganhos: o home office aponta, a princípio, que o modelo do Teletrabalho que já vinha sendo conduzido pela casa antes da pandemia é viável,  possível e eficiente, podendo ser ampliado com os devidos ajustes e cuidados, mormente para evitar a perda deste sentimento de equipe.

 

DS RECIFE – EM SE TRATANDO DO CENÁRIO POLÍTICO-ECONÔMICO, O QUÊ AUDITORES-FISCAIS DA RECEITA FEDERAL DO BRASIL PODEM ESPERAR DE 2021?

JOSÉ ASSIS – O cenário econômico em 2021 é desafiador por conta da Covid-19. Houve uma sensível queda no nível de arrecadação federal em 2020.  Espera-se que a RFB atue de forma inteligente e estratégica no sentido de recuperar a arrecadação das receitas. No tocante ao aspecto político, sabemos que há algumas propostas de alteração legislativa com o escopo de uma reforma tributária. Muitas discussões serão enfrentadas no CN neste ano de 2021 neste tema e que podem ter repercussões, inclusive, nas atividades desempenhadas pelas Administrações Tributárias.

0 respostas

Deixe uma resposta


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *